Blog

Marketing Jurídico: melhores redes sociais para advogados

Se você é advogado e está pensando em investir em Marketing Jurídico, já deve saber ou, pelo menos, imaginar que as redes sociais são ótimas ferramentas para colocar as suas estratégias em prática. Mas, antes de qualquer coisa, é importante criar um planejamento para definir qual ou quais redes sociais são adequadas para o seu objetivo.

Isso porque, não existe uma, duas ou três melhores redes sociais. Cada uma delas possuem características que podem ou não serem adequadas para atingir os resultados e o público alvo que você deseja como profissional.

Além disso, é válido lembrar que outros fatores, como o tipo, a linguagem utilizada e a qualidade de cada conteúdo produzido para cada rede social escolhida por você, também influenciam em seus resultados.

É por isso que vamos explicar a seguir o perfil das principais redes sociais e esclarecer pontos que mostram como cada uma delas pode ser utilizada ao seu favor, para atingir o público-alvo desejado. Acompanhe.

 

6 principais redes sociais para advogados

 

  1. Facebook

Apesar de ter ganhado muitos concorrentes ao longo dos anos, o Facebook continua sendo a rede social com o maior número de usuários ativos em todo o mundo, totalizando mais de 2,7 bilhões de pessoas. Desse total, mais de 135 milhões de usuários são brasileiros, segundo o levantamento da empresa de mídias, Statista.

Diante desses dados e da possibilidade de segmentação que os anúncios e impulsionamentos do Facebook oferecem, já podemos afirmar que é uma rede social adequada para os advogados. Isso porque será mais fácil atingir o público alvo, seja de forma orgânica ou paga.

Organicamente, você pode procurar e ser procurado por perfis de pessoas possivelmente interessadas nos seus serviços. Dessa forma, a ideia é fidelizar esses usuários na sua página, tornando-os seguidores, a partir do compartilhamento de conteúdos interessantes e diferenciados.

Já o alcance pago, pode ser facilmente atingido, pois é possível segmentar o público alvo de determinado post ou campanha, selecionando dados importantes, como o sexo, faixa etária, região, profissão e até os interesses pessoais dos usuários.

 

  1. Instagram

O Instagram é a rede mais popular entre os advogados, seguida pelo YouTube. Isso porque a rede social permite compartilhar a sua rotina, o desafio dos iniciantes na carreira e até conteúdos mais técnicos de áreas específicas do Direito.

Ao mesmo tempo, vale destacar que uma pesquisa realizada pela Opinion Box, aqui no Brasil,  apontou que o Instagram é a rede preferida de 1 a cada 4 internautas. E que o Instagram é acessado 35% por jovens, enquanto os mais velhos representam apenas 12%.

Com isso, concluímos que o Instagram é a rede social indicada para criar, manter e aproximar o profissional do seu público alvo, através do compartilhamento de detalhes do seu cotidiano e conteúdos de qualidade, como os vídeos que podem ser produzidos para o IGTV ou Reels.

Mas, se o seu público alvo for pessoas mais velhas, a partir dos 40 anos de idade, por exemplo, o Instagram não é a melhor rede social para investir no seu marketing, pois a quantidade de usuários a partir dessa idade não é boa o suficiente para você ter bons resultados.

 

  1. Twitter

O Twitter, diferentemente de todas as demais, é a rede social para os usuários que prezam por atualizações objetivas e em tempo real. No Twitter, o formato dos textos é curto e rápido, de até 280 caracteres, que devem ser voltados para breves atualizações.

Por conta desse imediatismo, é uma rede social com muita interação. Afinal, os usuários gostam de receber as notícias na hora, assim como gostam de comentar a sua opinião sobre elas. O espaço também possibilita discussões.

A grande vantagem para os advogados é compartilhar e comentar leis, decisões e artigos, por exemplo, como uma forma de reforçar a sua autoridade no seu segmento. Além disso, o Twitter ainda permite que os advogados interajam com pessoas relevantes do Direito, como perfis de advogados famosos, empresas e escritórios de advocacia etc.

 

  1. YouTube

O YouTube tornou-se a principal rede de vídeos e educação do mundo e reúne conteúdos de qualidade sobre os mais variados assuntos e segmentos, o que inclui a advocacia. Se você buscar, vai encontrar uma infinidade de aulas sobre os diversos temas do Direito.

Além de compartilhar conteúdos, reforçar a sua autoridade e ser assistido somente por pessoas interessadas no conteúdo que você oferece – o que contribui para um bom crescimento orgânico – tudo o que for publicado no YouTube não se perde.

Isso significa que, se o seu vídeo for bastante acessado e consumido pela sua comunidade, ele irá continuar sendo recomendado pelo YouTube para usuários que buscam conteúdos semelhantes, mesmo que seja um vídeo antigo.

Você pode começar a pensar em produzir vídeos para o YouTube conhecendo canais já consolidados que abordem os mesmos temas que você pretende abordar. Observe a quantidade de inscritos, visualizações, curtidas e interações do público alvo.

 

  1. LinkedIn

Por último, mas não menos relevante, o LinkedIn. Certamente, você já sabe que o LinkedIn tem crescido por ser uma rede social totalmente corporativa. E, por isso, é, com toda a certeza, indicada para advogados. São inúmeros profissionais, escritórios e empresas presentes na rede social, compartilhando ideias, assuntos e notícias diariamente.

As suas diferenças das demais redes sociais está na linguagem do LinkedIn, que deve ser mais séria e formal, e o público, que é corporativo, consome conteúdos que se referem ao cotidiano das empresas e negócios e de seus colaboradores.

Outra vantagem é que o LinkedIn funciona como um cartão de visita, pois você pode acrescentar informações importantes, como suas experiências profissionais, sua formação acadêmica e as suas competências, no seu perfil.

 

  1. WhatsApp

Com mais de 2 bilhões de usuários no mundo e disponível em mais de 180 países, o WhatsApp está disponível em 60 idiomas diferentes e é o aplicativo mais popular do mundo. No Brasil, estima-se que mais de 120 milhões de brasileiros utilizam o aplicativo de mensagens.

Ou seja, assim como acontece com o Facebook, o WhatsApp é indispensável para os advogados. E, vale lembrar, que o ideal para os profissionais é a sua versão Business, totalmente voltada para as contas comerciais.

O WhatsApp Business é fundamental, pois agiliza a comunicação, gera maior proximidade, confere mais visibilidade, permite a criação de catálogos de serviços, cria links compartilháveis, personaliza etiquetas e oferece funções extras, como respostas rápidas, mensagens automáticas, marcar como não lidas e relatórios com dados das suas conversas.

Atualmente, existem outros aplicativos de mensagens populares, como o Telegram. Mas, nenhum deles têm a popularidade do WhatsApp, assim como todos esses recursos comerciais.

O Telegram pode ser mais indicado para outras finalidades, como a venda de cursos, mentorias e outros, pois concentra grande quantidade de pessoas em canais de comunicação, sem a interação dos inscritos.

 

Cautela, foco e dedicação

Agora que você já conheceu as características das principais redes sociais e já deve ter escolhido em quais delas investir, saiba que em todas elas, é necessário ter um certo cuidado. Antes de postar ou compartilhar qualquer conteúdo, pense bem se será positivo na perspectiva do seu público.

Através dos stories, por exemplo, é comum ver profissionais de diferentes segmentos em momentos com a família, comemorando com os amigos, expondo detalhes negativos da sua profissão, problemas da sua vida pessoal, entre outras situações.

Isso não quer dizer que conteúdos como esses não podem ou não devem ser compartilhados, mas vale a pena serem filtrados antes para não refletir mal. Lembre-se sempre que as suas redes sociais de trabalho têm como objetivos prospectar clientes e divulgar os seus serviços.

Além disso, existe o Código de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que impõe limites quanto à publicidade e propaganda dos advogados brasileiros. Ter conhecimento do seu conteúdo é fundamental para montar as suas estratégias de Marketing Jurídico.

Todas as manifestações permitidas devem ser de caráter informativo. Isso quer dizer que o conjunto de regras proíbe a utilização de termos e ações, como “ligue já”, “clique aqui para contratar”, “solicite agora o seu orçamento” etc.

Com tudo isso em mente e após o seu planejamento estratégico, tenha foco e dedicação para manter as suas redes sociais sempre atualizadas, com assuntos diversos, bem estruturados e diferenciados.

Criar e manter uma rotina de postagens é essencial e vai mostrar aos seus seguidores e possíveis clientes a sua seriedade e dedicação com o seu trabalho e, consequentemente, sua autoridade na área de atuação.

 

Pronto! Agora você já é um advogado preparado para começar a atuar nas redes sociais mais indicadas para o seu perfil profissional e para a sua área de atuação, com moderação, abordando os assuntos de forma totalmente informativa, respeitando a ética que a sua profissão exige.

Cadastre-se para receber conteúdos exclusivos por e-mail
InfographyaMarketing Jurídico: melhores redes sociais para advogados